pokerstars

Primeira Classe

Primeira Classe

Siga nas redes
Só para assinantesAssine pokerstars
OpiniãoCarros

pokerstars - Por que Elon Musk está com medo da invasão das montadoras chinesas

Carros chineses podem demolir as montadoras globais. Essa frase não é minha. É de um dos executivos mais badalados, admirados e festejados do mundo: Elon Musk. Polêmico, e genial, Musk desperta amor e - e também algum nível de ódio - pelo mundo. Mete o pé pelas mãos às vezes, de vez em quando se envolve em polêmicas, mas fato é que criou a montadora que em pouquíssimo tempo de atuação conquistou o posto de mais valiosa do mundo: a Tesla.

Musk revolucionou o mundo do automóvel ao colocar em prática, antes de todos, os três fatores que sempre foram considerados os fundamentais para o "carro do futuro": elétrico, autônomo e conectado. Ideia esta que nem foi criada por ele, e sim pela indústria. Mas aí a Tesla saiu na frente.

Aqui, nem vou entrar no mérito da eletrificação, conectividade e, principalmente, automação da Tesla. Gera polêmica, e é assunto para outra análise. Esta não é sobre isso. Fato é que Musk surgiu nos EUA e expandiu seus domínios pelo mundo.

Em 2024, polêmicas e questionamentos à parte, teve o carro mais vendido do mundo, o Model Y. Isso ocorreu porque, além de conectividade, eletrificação e automação, Musk colocou todos esses ingredientes em um produto para classe média (aqui no Brasil muitos pensam, de maneira equivocada, que Tesla é luxo - também explicarei isso em outro post).

Porém, não foram os EUA os principais responsáveis pela liderança do Tesla Model Y em 2023. De acordo com números ainda preliminares (nem todos os mercados fecharam seus dados), divulgados por consultorias como Jato Dynamics, o Model Y superou 1,2 milhão de unidades vendidas em 2023.

A China foi o principal mercado consumidor desse produto, com quase 500 mil unidades. A Europa (de acordo com esses números preliminares) também teria ficado à frente dos EUA. Ainda assim, Musk atacou, em entrevista à Reuters, seu principal consumidor.

Musk apela para o protecionismo

A China já superou os Estados Unidos como principal mercado automotivo do mundo. Com margem. Além disso, tirou o maior proveito dos anos de parceria que montadoras globais - que só assim podiam atuar no país. Hoje, faz carros de muita qualidade, com quase tudo o que a nova geração quer (eletrificação e conectividade) e, ainda assim, por um preço muito menor que os concorrentes mundiais.

Ao mesmo tempo em que produz carros para exportar ao mundo, a China absorve carros de todo o mundo. Fato: é preciso produzir lá. E as montadoras globais estão de boa com isso. Elas produzem. Isso porque o mercado chinês é imenso. E, economia em expansão, tem um potencial absurdo de novos consumidores. Não dá para ficar de fora.

Continua após a publicidade

"Se não forem estabelecidas barreiras comerciais, as montadoras chinesas demolirão a maioria das outras empresas automotivas do mundo", disse Musk em entrevista divulgada mundialmente pela Reuters. O executivo complementou elogiando o carro chinês, que considera excelente. "São as marcas mais competitivas do mundo."

Pânico com o avanço da China

Musk pode ter se posicionado contra o país responsável por seu principal mercado consumidor, a China - que, aliás, exige muito para que uma montadora estrangeira atue em seu território. Por outro lado, expôs uma realidade: até a Tesla teme o avanço chinês. E a Tesla é a marca que revolucionou a maneira de se fazer e vender carros mundialmente.

Mas, diferentemente do que expõe Musk nesse pensamento, protecionismo não é suficiente. É só uma maneira de ganhar tempo. A China está investindo em sua expansão como produtor mundial de automóveis - e, em tempo recorde, já produz carros com qualidade suficiente.

No plano chinês, o protecionismo é previsto - e esperado. Por isso, há plano de construção de fábricas por todo o mundo - o Brasil terá plantas da BYD e GWM em 2024. Contra produtos locais, não há protecionismo.

Mas, mesmo produzido fora da China, o produto daquele país promete manter preços mais competitivos que os demais - há vários fatores que levam a essa precificação. Assim, não há protecionismo que barre o avanço chinês.

Continua após a publicidade

O pedido de Musk, um cara que tem moral, só ajuda as montadoras globais ganharem tempo. Assim como o aumento de imposto de importação para elétricos no Brasil. As marcas consolidadas vão ter de descobrir como lidar com o carro chinês barato e de qualidade, até que elas comecem a produzir localmente.

Tudo isso representa uma ótima notícia para o consumidor. Os carros tendem a ficar mais baratos. Ao menos os carros elétricos, que são especialidade da China. A que custo para as demais montadoras? Isso veremos no futuro.

Quer ler mais sobre o mundo automotivo e conversar com a gente a respeito? Participe do nosso grupo no Facebook! Um lugar para discussão, informação e troca de experiências entre os amantes de carros. Você também pode acompanhar a nossa cobertura no Instagram de pokerstars Carros.

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do pokerstars.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes
pokerstars Mapa do site