pokerstars

'O que é trair?' e mais 7 perguntas pra se fazer antes de abrir uma relação

Para viver um relacionamento aberto é preciso ter muito diálogo entre o casal. E considerar as necessidades e emoções de cada um. Antes de decidir sair com outras pessoas, vale a pena fazer alguns questionamentos importantes, que darão uma ideia do que virá pela frente:

1. O que consideramos como traição?

Para alguns, é se envolver emocionalmente com uma terceira pessoa. Para outros, é transar com outra pessoa sem avisar. Por isso, vale cada um explicar a própria visão sobre infidelidade. Pode ser que vocês cheguem à conclusão de que nada é traição desde que esteja acordado. Mas é bom falar e ouvir o que seu parceiro tem a dizer.

2. Quais serão as regras?

Algumas pessoas precisam de várias regras para se sentirem seguras. Outras, só estabelecem que deve haver respeito e lealdade, como fez a Letícia*, de 23 anos, que viveu um relacionamento monogâmico por três anos e abriu há um ano. "Normalmente, as regras são uma tentativa de limitar o que pode ocorrer, dado que não há um comportamento padrão a ser seguido como num relacionamento monogâmico. Na relação aberta, tudo fica incerto no começo e gera inquietação. Tentamos colocar regras, mas vimos que eram inviáveis e faziam pouco sentido para nós. O que importava, mesmo, era a cumplicidade", conta.

3. Como lidamos com o ciúme?

Se você sente dor de estômago só de pensar que seu parceiro vai ficar com outra pessoa, mas acha que vai conseguir segurar a onda com o passar do tempo, pode se decepcionar ao abrir o relacionamento. Afinal, não temos um controle racional das nossas emoções.

4. Só porque funciona com um casal de amigos, vai funcionar com a gente?

A gente já dá a resposta para esta pergunta: não. Cada casal funciona de um jeito. Querer ser como o outro, não significa ser. E esta comparação pode gerar frustrações e cobranças inadequadas.

5. Como vamos administrar o tempo juntos?

Será preciso dividir o tempo entre trabalho, família, amigos, novos parceiros e entre vocês dois. "Isso é um ponto que gerou algumas discussões entre nós. Mas como acredito que ele deve estar onde quer, e que isso não indica desinteresse por mim ou falta de amor, acabamos sendo compreensivos. Às vezes passo bastante tempo saindo só com ele, às vezes nos vemos rapidamente durante algumas semanas", conta Letícia.

Continua após a publicidade

6. Os dois querem ou só um quer?

Não será fácil viver a relação aberta quando o desejo partiu de apenas um. O relacionamento aberto nunca deve ser buscado como forma de tentar salvar o casamento ou flexibilizar as cobranças. Só deve ser proposto por pessoas maduras, dispostas a essas vivências, sem o desejo de exclusividade ou sensação de posse.

7. Quais prejuízos podemos ter com esta decisão?

A relação aberta pode melhorar e apimentar a vida conjugal, ajudar a quebra a rotina e melhorar a autoestima de ambos. Porém, em alguns casos, pode alimentar a desconfiança, o desejo de controle do outro e gerar distanciamento e atritos. Tudo dependerá da maturidade, desejos e limitações de cada um.

8. E se um de nós se apaixonar por outra pessoa?

"Eu me fiz esta pergunta antes de abrir meu relacionamento. Existe esta chance, ao conhecer novas pessoas. Pode ser que ele se apaixone e resolva voltar ao relacionamento monogâmico com outra. E pode acontecer comigo também essa mesma situação", conta Letícia. É uma aposta e deve ser colocada na balança antes de a decisão ser tomada...

Continua após a publicidade

Fontes: Eduardo Fraga, professor de psicologia do Mackenzie; e Edyclaudia Gomes de Sousa, psicóloga.

*Com matéria publicada em 16/09/2017, nome alterado a pedido da entrevistada

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes
pokerstars Mapa do site